empreendorismo

Não sabes como abordar o mercado?

Publicado em Atualizado em

A vida está difícil e as oportunidades escasseiam. Com tanta concorrência não podes deixar que o teu lugar no mercado seja ocupado por outra pessoa. Como o fazer? Como criar um CV que se distinga dos outros? O que podes fazer por ti para criar um percurso demonstrativo das tuas competências? Já alguma vez fizeste uma análise swot a ti próprio?

O workshop MINDSET DE MERCADO é uma iniciativa criada pela Spark Agency para ajudar os universitários e recém-licenciados a encontrar formas de se apresentarem de um modo inteligente e diferenciador. A equipa promete uma «perspetiva inovadora, onde se traz a lógica do mercado para a esfera individual – o teu trabalho é o teu produto!» para além de  «explorar todos os outros inúmeros canais de venda (reuniões de trabalho, networking, presença online, entre outros)». É já a 21 de novembro, das 9h30 às 13h30, no ISVOUGA, Instituto Superior de Entre Douro e Vouga. Informações e inscrições até 16 de novembro AQUI ou pelo email sac@isvouga.pt.

Uma iniciativa MKT:LAB.

Anúncios

Como dar a volta à crise?

Publicado em Atualizado em

Especialista em Crescimento de Negócios, a 13 nov, no Isvouga

7º EDIÇÃO

 

 

Em tempos de austeridade, Paulo de Vilhena, especialista em crescimento de negócios é o orador escolhido para o regresso do ciclo de conferências ISVOUGA MARKETING SESSIONS, a 13 nov, 19h.

Paulo de Vilhena possui uma vasta experiência na banca, foi director geral da ActionCoach, empresa mundial de referência em coaching de negócios. Entre as inúmeras formações destaque para o MBA em Gestão, pela Universidade Católica. Conceituado practioner em PNL, Programação Neuro-Linguística, tornou-se uma referência também com o lançamento das obras «O livro secreto das vendas. O mapa mental dos supercomerciais desvendado» e «Livro Secreto do Crescimento de Negócios» [ver AQUI ENTREVISTA ]. Escreve com frequência sobre os temas de liderança, vendas, negócios e desenvolvimento pessoal, em publicações nacionais.

O ciclo de conferências ISVOUGA MARKETING SESSIONS é uma iniciativa da Licenciatura em Marketing, Publicidade e Relações Públicas que arrancou no início do ano letivo 2011-2012 com a finalidade de apresentar casos práticos e debater assuntos relacionados com as estratégias de comunicação no século XXI.  Até ao momento contou com mais de 700 participações de alunos, ex-alunos e comunidade empresarial da região em apenas seis edições. Um apanhado dessas sessões pode ser visualizado AQUI.

Inscrições para a 7ª edição disponíveis em http://7marketingsessions.eventbrite.pt/.

Mais uma iniciativa MKT: LAB.

Empreendedorismo é o tema da quarta sessão

Publicado em Atualizado em

Miguel Gonçalves é o orador de mais uma edição do ciclo de conferências ISVOUGA MARKETING SESSIONS, promovido pela Licenciatura em Marketing, Publicidade e Relações Públicas, a decorrer a 14 de Fevereiro, às 19h.

Fonte imagem: Praça - Porto24 (DR)

O ciclo de conferências Isvouga Marketing Sessions retoma as sessões regulares a 14 de Fevereiro de 2012 e conta com a presença de Miguel Gonçalves, fundador da Spark Agency, para uma intervenção intitulada «Admirável Mercado Novo». O orador, com formação em Psicologia, tem uma década de experiência em agitar mentalidades. Em 2011 tornou-se numa das figuras do ano nas redes sociais, após uma participação no programa Prós e Contras, da RTP, dedicado ao Tema «Esperança no futuro», onde, num discurso aguerrido e frontal revelou que a forma para contornar as adversidades está na atitude e na capacidade de ser diferente.

A entrada é livre.

Devido à lotação do auditório é obrigatória a inscrição para o email: marketing.sessions@est.isvouga.pt.

O percurso do orador

O responsável pela Spark, empresa especializada em criatividade e no desenvolvimento de acções de formação, palestras e sessões de motivação para empresas, é também, aos 32 anos, um comunicador nato. Em 2009 lançou um projecto intitulado SliceWalking, uma iniciativa que apoia famílias em países de terceiro mundo através da arte. Um ano depois criou uma agência com vista a activar energia nas empresas e nas pessoas. A participação no Programa Prós e Contras da RTP, em Junho de 2011, para falar do projecto «So You Think You can Pitch», apresentado como um evento que reúne empresas que compram trabalho e pessoas que querem trabalhar, transformaram-no num fenómeno de comunicação viral. «Acredito que se está a começar a formar uma nova geração de empregados. Tivemos muita gente a olhar para baixo, a picar o ponto e a cumprir regras. (…) Há agora um ambiente de empreendedorismo muito forte», diz Miguel Gonçalves, conhecido pela repetição de alguns chavões tais como «CV não é curriculum vitae, é Canal de Vendas!» ou pelos também afamados mantras: «as empresas não oferecem trabalho, compram propostas de valor; o teu trabalho é o teu produto; o produto que não está à mostra não vende». Nos últimos meses, este ideia starter, como surge na página da agência, tem-se desdobrado em conferências, palestras e participações onde divulga algumas das actividades que estão a dar nome à empresa que fundou com Tânia Delalande (professional problema solver) e Regina Arlete (contente curator). Entre os vários projectos desta sociedade minhota destaque para So you think you can pitch, evento que funciona como ponto de encontro para empresários e candidatos e o Udini, uma actividade que ensina e incentiva a fazer as perguntas certas, às pessoas certas.

Para informações mais detalhadas consultar a página da agência: http://www.sparkagency.pt.

De recordar que a iniciativa ISVOUGA MARKETING SESSIONS arrancou em Outubro de 2011 com a presença de dois profissionais com experiência comprovada na área do Marketing e das Vendas. Pedro Aguiar abordou questões relacionadas com os factores críticos de sucesso para um marketing 3.0 eficaz e os novos desafios organizacionais ao nível do marketing e estratégia. Paulo Ferreira salientou algumas das estratégias de abordagem e de relacionamento entre os profissionais das vendas com os clientes, mas acima de tudo, sublinhou a importância da atitude na hora de marcar a diferença. Na segunda sessão, em Novembro, foi a vez de Duarte Magalhães e Joaquim Pereira, autores do livro City Marketing. MyPlace in XXI. Gestão Estratégica e Marketing de Cidades, participarem no evento. Para Duarte Magalhães «todas as cidades estão à procura do seu lugar» e deve-se fazer a «promoção das cidades com método sustentado». Joaquim Pereira considera que a identidade de cada lugar deve estar no centro de qualquer estratégia de marketing, apostando na «criação de compromissos» entre todos os actores locais para a construção de uma cidade competitiva, sustentável e com futuro. Em Dezembro, ainda antes do Natal, Ana Côrte-Real, investigadora na área do Marketing Infantil, falou da ligação que as crianças têm com as marcas. Nuno Moura, Marketing Manager da Prénatal, contribuiu com a apresentação de um caso prático e falará das mães, as decisoras na hora da compra nos primeiros anos de vida. As conferências que estão a decorrer no âmbito do ISVOUGA MARKETING SESSIONS têm como finalidade debater assuntos relacionados com as estratégias de comunicação no século XXI.  As sessões visam proporcionar um contacto directo e contínuo entre profissionais da comunicação, empresários, académicos e a comunidade estudantil para uma maior aproximação com a realidade actual.

 

RP: o dilema das competências-chave

Publicado em

Segue-se uma lista das competências que um profissional de Relações Públicas deve ter e que recuperei de uma informação antiga de David Fleet [14 competências-chave]. Capacidade de escrita e as habilidades comunicacionais juntam-se à proa(c)tividade, à ética e ao estabelecimento de um bom relacionamento com os meios de comunicação social. Mas… pode-se também juntar a resiliência, um termo a ser desenvolvido em posts futuros. Para além, das funções de sempre, destacam-se ainda os «novos» atributos «criados» pela galáxia internet.

PR pros still need the basic attributes and skills that they’ve always needed.  Try launching something using social media alone and you’ll appreciate the gap that traditional media can leave if it’s lacking. So, entry-level PR professionals still need to be proficient at (among other things):

  • Writing – the cornerstone of a PR professional’s career. If you’re not confident about your writing skills, brush up. You’ll need them. Learn how to write a news release – study those produced by other organizations and practice for yourself.
  • Communications skillsI’m talking ‘small c’ communications here rather than the ‘big c.’ Learn to communicate more effectively with other people
  • Attention to detail –  … Proofread everything. Fact check everything. Hand things to your supervisor when you would be happy with them going to the client.
  • Media relations – you’ll probably be doing media relations throughout the majority of your career. You may not have had an opportunity to do it for yourself as a new graduate, but an understanding of the basics is certainly an advantage – what’s in a media list? What are the pitching best practices?
  • Proactiveness – if you don’t know an answer to a question, first try to research the answer. If you can’t find the answer, ask. Whatever you do, don’t just sit there until you approach the deadline for your work.
  • Work ethic – public relations isn’t a 9-to-5 job. It shouldn’t take over your life, but the nature of the work is that sometimes you’ll have last-minute deadlines and sometimes you’ll have to chip-in to help others. There’s nothing worse for more senior team members than watching the more junior ones walk out of the door at 5pm then having to stay there until 9pm themselves. Put in that little bit of extra effort. It won’t be every day, but people will notice

Para além do básico junta-se a necessidade de dominar outras ferramentas:

  • Blogging – you don’t necessarily need to have one (although it’s a big plus), but an understanding of the importance of blogs and an interest in their use, is essential in my view.
  • Microblogging – it’s still an emerging technology, but I would argue that an understanding of microblogging tools (the primary one currently being Twitter)  is essential for new grads.
  • Social networking tools – Facebook, MySpace LinkedIn, Plaxo and more – there’s a plethora of social networking tools out there. An understanding of the leading social networks is desirable.
  • SEO – some parts of search engine optimization are quite technical, but others are very simple and require little technical knowledge. An understanding of the basics is highly valuable. This leads to my next point…
  • Coding – basic HTML, PHP, VBScript and so on are not critical skills, but I find them useful on a daily basis.
  • RSS, RSS Readers – I consider an understanding of RSS to be central to people doing any work in social media. For one thing, RSS turns monitoring multiple searches and sites every day into a manageable task. For another, it helps when providing recommendations to clients.
  • Blogger relations – understand the nuances of blogger relations.
  • Social media ethics – everyone has their own lines when it comes to ethics. Know where yours lie and how you feel about topics like astroturfing, ghost blogging, sock puppets and other common ethical issues (I’ve given my on astroturfing and ghost blogging several times recently).

Os atrasos do costume

Publicado em

«Nobody likes to be late. It’s stressful and can trash your rep as a responsible, competent leader or employee. But for some of us, tardiness is a tough habit to break».

Amy Levin-Epstein sugere 6 dicas para acabar de vez com os atrasos frequentes. Ler em Be on time, every time: 6 simple tricks.

4 razões para mudar de atitude

Publicado em Atualizado em

«Starting a small business takes a lot of hard work and talent. Keeping a small business going takes even more of the same. According to labor statistics, more than 80 percent of businesses fail within the first year – but very few reports explain why».

Katie Morrel, no artigo 4 Reasons Companies Fail , recorda o autor do livro «Your Marketing Sucks»,  Mark Stevens, para quem há 4 razões para o desaparecimento de um pequeno negócio:

Livro de Mark Stevens
Livro de Mark Stevens

 1. Lack of leadership

“Set the example yourself,” he says. “At my company, I tell my employees to give me homework. This shows them that their leader is willing to do the work to make the company exceptional, not just the job of a CEO.” Leaders also reward high performing team members, he says.

 2. Complacency

“I see companies that were doing really well before 2008 because there was simply enough business to go around,” Stevens says. “They got lazy, didn’t do marketing, and assumed it would always be that way. Then, when things got bad, they had to close up shop.” 

3. Hot and cold customer treatment

This is where small businesses have an advantage, Stevens says. “Lets say you sell someone a dish set. After they take it home, send them a card that says, ‘I hope you enjoy a million happy meals on these plates’ and I guarantee that person will come back to your store.”

 4. Conventional thinking

  “You really need to look at yourself and ask, ‘What is the wisest thing to do in my business for my team members and for my clients?’”

Ser empreendedor está na atitude

Publicado em Atualizado em

A propósito da intervenção de Miguel Gonçalves há uns meses no programa Prós e Contras da RTP eis um artigo que chama a atenção para a atitude a ter na hora de arregaçar as mangas e mostrar o que realmente se vale.

TER SUCESSO NA ESCOLA NÃO É SINÓNIMO DE SUCESSO NO TRABALHO

Uma das coisas que Miguel Gonçalves refere é que de nada lhe vale ter um currículo enorme, se depois na prática a sua utilidade é muito pouca. É claro que estudar e renovar os conhecimentos é sempre importante, mas o essencial é mesmo a prática e a sua capacidade de conseguir vender um produto. Você pode ser muito bom na teoria, mas se isso não o ajuda a conseguir aumentar o número de vendas, o que lhe vale? Os estudos devem ser vistos como um apoio ao sucesso prático do seu trabalho e nunca o contrário. Estude para conseguir mais vendas e clientes. Esse é o ponto central do seu negócio.

FAÇA ALGO DIFERENTE

Enviar currículos para empresas e ficar à espera que seja contactado é a atitude habitual de quem termina a licenciatura. Tal como referiu Miguel Gonçalves, ter esta atitude é fazer igual a toda a gente e com isso, as probabilidades de se destacar são muito menores. O mesmo você não deve fazer no seu trabalho de freelancer. Ficar a divulgar o seu trabalho de forma igual ao que fazem os seus concorrentes, é o primeiro passo para passar despercebido. Use um pouco da sua criatividade e dê a conhecer aquilo que faz de um modo diferente.

A mesma teoria deve ser utilizada no seu produto. Existe uma parte do video em que Miguel Gonçalves refere que “existe uma grande quantidade de designers no mercado”. E o que sugere ele? Que se especializem em áreas que têm boas probabilidades de crescimento nos próximos anos, como o desenvolvimento de aplicações para smartphones. Quando pensar em iniciar o trabalho de freelancer, faça algo inovador e tente imaginar as necessidades do futuro.

NÃO TENHA VERGONHA

Apesar de estar numa plateia recheada de empresários de renome, Miguel Gonçalves não se intimidou e falou como se estivesse no mercado há vários anos. Com isto, conquistou o público e em poucos dias eram divulgados vários videos sobre a intervenção dele. Mas imagine que ele tivesse tinha uma atitude contrária? Imagine que falava calmamente e que passava despercebido? Provavelmente não estaria neste texto a falar sobre ele. O mesmo você deve fazer no seu trabalho de freelancer. Não tenha vergonha e faça-se notar. Seja proativo e faça com que as pessoas se lembrem de si.

FALTA DE CONDIÇÕES NÃO É DESCULPA

Num determinado momento, o empresário falou sobre um jovem que programava num papel há oito meses. Repito: oito meses! E a sua situação apenas foi alterada porque o dono de uma empresa ofereceu-lhe um computador. Este exemplo é a uma excelente demonstração que a falta de condições nunca deve ser desculpa para não se começar algum negócio. Especialmente nos dias de hoje, em que iniciar um blog de qualidade na internet custa meia dúzia de euros. O problema está na falta de prioridades, pois muitas vezes prefere-se gastar esse dinheiro num jantar ou num passeio do que no investimento do próprio negócio.

SEJA HUMILDE

Se reparar, durante todo o video não existiram quaisquer formalidades. Miguel Gonçalves falou durante todo o tempo de um modo bastante direto, o que facilitou o seu discurso. Mais à frente, referiu que era importante os empresários olharem “olhos nos olhos” nos mais jovens, para que a mensagem pudesse ser bem transmitida. Se quiser atingir o sucesso, fale de um modo bastante directo. Para que tenha o exemplo de um conceito empresário da internet, veja este video do Pedro Sorren, no qual este empreendedor brasileiro passa alguns minutos com Gary Vaynerchuk. Tempo suficiente para perceber a humildade de um dos maiores vendedores a nível mundial, mas que mesmo com o sucesso conseguido não deixa de ser simpático para qualquer uma das pessoas.

NÃO FIQUE EM CASA À ESPERA DOS CLIENTES

Sair da rua para vender o seu produto é algo essencial para exponenciar o seu sucesso. Já referi algumas vezes que deve sair um pouco da estratégia habitual de tentar crescer no mundo on-line para começar a focar-se também no off-line, falando em público ou tentando aparecer em nos mídias gratuitamente. É certo que se você trabalha na internet o seu foco tem obrigatoriamente de ser o público na internet, mas não se pode descurar do mundo cá fora, pois esse também pode dar-lhe oportunidades diferentes.

ACRESCENTE VALOR AO TRABALHO

Repare nestas declarações. “Tirei um licenciatura em Gestão de Relações Públicas e Comunicação para empresas. Num país onde há 87% de empresas que não tem mais de nove pessoas, uma empresa dessas compra comerciais não compra gestores de relações públicas”. O que quer ele dizer com isto? Que de pouco lhe vale apostar num mercado que está completamente saturado e no qual as suas hipóteses de conseguir gerar dinheiro são muito poucas. Concentre-se em algo que realmente possa fazer a diferença e que as pessoas sintam necessidade de usar esse produto. Caso contrário, de que lhe vale apostar em algo que as pessoas não vão utilizar?

SEJA PERSISTENTE

A dado momento, Miguel Gonçalves referiu que se “por cada orçamento que desse fechasse um negócio, estava rico! Não funciona uma, não funciona tentasse duas, se não funcionar há de dar à quarenta tentativa!”. Estas frases resumem mais ou menos a atitude que deve ter como freelancer: ser persistente. Os resultados nunca irão aparecer às primeiras tentativas, por isso o mais importante é que não desista às primeiras quedas.

Um outro jovem tornou-se notícia recentemente por ser original na hora de enviar o CV. Ver notícia completa no  Jornal de Negócios.

Um jovem copywriter de publicidade, à procura de emprego, resolveu fazer uma espécie de currículo inovador e enviá-lo aos potenciais empregadores. Três semanas depois, e já sem grandes expectativas de resposta, partilhou a proposta de candidatura na Internet e através das redes sociais. Passado um mês, lá surgiu uma proposta de trabalho.